O Yoga como mediador de aprendizagens para a promoção da saúde:: entre cuidado, práticas e experiências de si

Biblioteca Digital - UFMG

O Yoga como mediador de aprendizagens para a promoção da saúde:: entre cuidado, práticas e experiências de si

Show full item record

Title: O Yoga como mediador de aprendizagens para a promoção da saúde:: entre cuidado, práticas e experiências de si
Author: Alcione Cassia dos Santos Ramos
Orientador: Kenia Lara da Silva
Banca:
Presidente: Marilia Alves
Membro: Isabela Silva Cancio Velloso; Jose Alfredo Oliveira Debortoli
Subject: Enfermagem Teses; Dissertações Acadêmicas DeCS; Ioga/psicologia DeCS; Promoção da Saúde DeCS; Aprendizagem DeCS; Meditação DeCS; Pesquisa Qualitativa DeCS; Relaxamento DeCS; Poder (Psicologia) DeCS
Palavra-chave: Yoga; Aprendizagem; Corpo; Cuidado de si; Promoção da saúde
Date: 27-02-2018
Publisher: UFMG
Abstract: O interesse pelo Yoga tem aumentado nas últimas décadas. Na modernidade, esta prática se situa num campo de poder entre um discurso médico hegemônico e práticas de promoção da saúde que visam à invenção de novos modos de subjetivação. O objetivo deste estudo foi analisar o aprendizado dos praticantes de Yoga para a promoção da saúde. Partiu-se do pressuposto que o Yoga é uma prática educativa que possibilita uma relação do sujeito consigo mesmo e com isso os praticantes desenvolvem o cuidado de si. Foi realizada uma pesquisa de natureza qualitativa, tendo como cenário o núcleo de convivência da Associação dos Servidores Municipais da Prefeitura de Belo Horizonte (ASSEMP). Os dados foram obtidos por meio de 62 horas de observação das aulas de Yoga, entrevistas narrativas com 15 praticantes de Yoga da instituição e análise das cartas redigidas por eles, nas quais foi solicitado que aconselhassem um amigo sobre cuidado. Os dados foram trabalhados na perspectiva de uma analítica pós-crítica do discurso. Os resultados revelaram que o Yoga encontra-se num campo de transição entre os ideários de liberdade da promoção da saúde e, ao mesmo tempo, constitui-se um instrumento do biopoder, reproduzindo discursos hegemônicos no campo da saúde. Os participantes utilizam o Yoga para cuidar do corpo físico, emocional, mental e espiritual. Suas condutas também transitam entre práticas normativas e práticas de cuidado de si. O cuidado de si se revelou como portando os seguintes sentidos: encontro consigo e reconhecimento da necessidade da mudança; ser ativo em relação a si mesmo e à vida; equilíbrio - temperança; a questão da verdade; conhecimento de si; cuidado com o outro; reconexão corpo/alma/espírito. Aprende-se com Yoga a refletir sobre si e, neste refletir, a fazer a conexão consigo, a prestar atenção ao corpo e, neste prestar atenção, a cuidar de si. Há, portanto, diferentes dispositivos que parecem produzir a experiência de si por meio do Yoga. O Yoga como mediador da experiência de si desenvolve a consciência corporal, por meio da qual o corpo se torna também um veículo de aprendizagem por outra via que não somente a razão. Conclui-se que o Yoga tem potencial para provocar práticas de liberdade em educação e saúde e, assim, alcança a promoção da saúde entre cuidado, práticas e experiências de si.
Resumo em lingue estrangeira: The interest in yoga has increased in the last decades. In modernity, this practice lies in a field of power between a hegemonic medical discourse and health promotion practices aimed at the invention of new modes of subjectivation. The objective of the study was to analyze the learning of the practitioners of Yoga for health promotion. It was assumed that Yoga is an educational practice that allows a relation of the subject with himself and with this the practitioners develop the care of themselves. A qualitative research was carried out, taking as a scenario the core of the Association of Municipal Servants of Belo Horizonte (ASSEMP). The data were obtained through 62 hours of observation of the Yoga classes, interviews with 15 Yoga practitioners of the institution and analysis of the letters written by them in which they were asked to advise a friend about care. The data were worked from the perspective of a post-critical analytical discourse. The results revealed that Yoga is a field of transition between the ideas of freedom of health promotion and, at the same time, constitutes an instrument of biopower, reproducing hegemonic discourses in the field of health. Participants use Yoga to take care of their physical, emotional, mental and spiritual bodies. Their behaviors also transpose normative practices and practices of self-care. Self-care has revealed itself with the following meanings: Meet with you and recognize the need for change; Be active in relation to yourself and to life; Equilibrium - Temperance; The question of truth; Knowledge of self; Beware of each other; Reconnection body, soul / spirit. One learns with Yoga to reflect on oneself and in this one to reflect to make the connection with itself, to pay attention to the body and, in this one to pay attention, to take care of itself. There are different devices that seem to produce self-experience through Yoga.Yoga as the mediator of the experience of self develops the body consciousness in which the body also becomes a vehicle of learning by way other than reason. It is concluded that Yoga has the potential to provoke practices of freedom in education and health and, thus, reaches the promotion of health among care, practices and experiences of self.
URI: http://hdl.handle.net/1843/ANDO-AXWJ2Z

Files in this item

Files Size Format View
alcione_c_ssia_dos_santos_ramos.pdf 2.117Mb PDF View/Open

This item appears in the following Collection(s)

Show full item record