O Psicólogo e o seu fazer na educação: contando uma outra história

Biblioteca Digital - UFMG

O Psicólogo e o seu fazer na educação: contando uma outra história

Show full item record

Title: O Psicólogo e o seu fazer na educação: contando uma outra história
Author: Rita de Cassia Vieira
Orientador: Regina Helena de Freitas Campos
Banca:
Presidente: Regina Helena de Freitas Campos
Membro: Silva parrat Dayan; Mitsuko Aparecida Makino Antunes; Maria Cristina Soares de Gouvea; Jose Paulo Giovanetti
Subject: Educação Teses; Psicologia educacional
Palavra-chave: Educação; Psicólogo
Date: 28-03-2008
Publisher: UFMG
Abstract: Esta pesquisa tem como objetivo realizar um estudo sobre o trabalho do psicólogo no âmbito da Educação, buscando avaliar esse trabalho tendo como referência as críticas que lhe têm sido feitas. Essas críticas, que adquiriram vulto ao longo dos anos de 1980 e persistem até a atualidade, qualificam a atuação do psicólogo educacional como reducionista, limitada, direcionada para o atendimento de interesses individuais em detrimento do coletivo e distanciada das questões sociais, econômicas, políticas e ideológicas que atravessam as instituições educativas e o próprio processo educativo. De acordo com essa visão, a intervenção do psicólogo nos processos educativos, apoiada nos dois pilares que a sustentam a psicometria e o atendimento clínico individual , contribuiria para a exclusão escolar e social de alunos de classes sociais menos favorecidas. A hipótese é que, embora em casos já relatados pela literatura crítica, a psicologia possa efetivamente ter contribuído para justificar processos de exclusão educacional ou social, a atuação do psicólogo está longe de ser monolítica. Considera-se que é possível que seu trabalho possa ter o efeito contrário e contribuir para a inclusão escolar e social de grupos desfavorecidos, quando inspirado em perspectivas teóricas que enfatizem a gênese social e cultural dos fenômenos psicológicos. O locus da pesquisa foi a Clínica de Psicologia Edouard Claparède da Fundação Helena Antipoff, localizada em Ibirité, Minas Gerais. A escolha dessa instituição levou em consideração o seu reconhecido papel como uma das precursoras da psicologia no estado de Minas Gerais, e que ainda se encontra em funcionamento. Além disso, a Clínica Claparède é parte da obra da psicóloga e educadora russa Helena Antipoff, pioneira no estabelecimento e consolidação da psicologia da educação em Minas e no país, e cujo trabalho destacou-se pelo olhar direcionado para as questões sócio-culturais. Assim, o estudo dessa Clínica poderia evidenciar um trabalho diferenciado e implicado com as questões sociais, voltado para a inclusão. Os dados foram coletados através de análise dos laudos psicológicos utilizando-se a modalidade fenomenológica de pesquisa em Psicologia , estudo dos arquivos documentais da Clínica e entrevistas semi-estruturadas. Concluiu-se pela confirmação da hipótese levantada: na instituição estudada realmente desenvolve-se um processo diferenciado de trabalho, onde se destaca a preocupação com a interpretação sócio-cultural dos processos psicológicos e com a inclusão escolar e social dos sujeitos atendidos. A partir dessa análise, são feitas considerações sobre a importância de uma sólida formação teórica e técnica para o exercício profissional, obtida através da associação entre ensino, pesquisa e extensão.
Resumo em lingue estrangeira: This research investigates the work of the psychologist in the field of Education, aiming at evaluating this work vis-à-vis the current critique to which it has been submitted. Since the 1980s, psychologists approach in education is considered reductionist, limited, directed to individual and not to collective interests and distant from social, political, economic and ideological issues that pervade educational institutions and the educational process. From this standpoint, psychologists intervention in educational processes, relying on psychometrics and on a clinical approach, is considered as a contribution for social exclusion and school failure of lower class children. My hypothesis is that, although in cases already documented in the literature psychology may have contributed for educational and social exclusion, the work of the psychologist is far from being undifferentiated. It is possible that they work may, in some cases, follow the opposite direction and contribute for the educational and social inclusion of disadvantaged students, when inspired by theoretical perspectives emphasizing the social and cultural genesis of psychological phenomena. The research was developed in Clínica de Psicologia Edouard Claparède of Fundação Helena Antipoff, located in Ibirité, Minas Gerais, Brazil. This clinic is recognized as one of the first institutions to offer psychological services in the State of Minas Gerais, and still exists. Moreover, the Claparède Clinic was founded by Helena Antipoff, a Russian psychologist who pioneered in the establishment and consolidation of applied psychology in the State of Minas Gerais and in Brazil, and who adopted a socio-cultural perspective in Psychology. Therefore, this case-study could provide evidence of a different approach, one that takes into consideration social issues and inclusion. The data were collected through analysis of psychological records adopting a phenomenological perspective , archival documents and semi-structured interviews. The hypothesis was confirmed, since in this institution there is evidence of a differentiated work being developed, in which the socio-cultural interpretation and the educational inclusion of clients are emphasized. Drawing on this analysis, some considerations are made on the importance of a sound theoretical and technical training for psychologists professional work, stemming from the association between teaching, research and extension.
URI: http://hdl.handle.net/1843/FAEC-84KNQ5

Files in this item

Files Size Format View
2000000144.pdf 1.977Mb PDF View/Open

This item appears in the following Collection(s)

Show full item record