Transplante cardíaco: co-morbidades e complicações apresentadas por pacientes em um hospital universitário de Belo Horizonte

Biblioteca Digital - UFMG

Transplante cardíaco: co-morbidades e complicações apresentadas por pacientes em um hospital universitário de Belo Horizonte

Show full item record

Title: Transplante cardíaco: co-morbidades e complicações apresentadas por pacientes em um hospital universitário de Belo Horizonte
Author: Elaine Araujo da Silva
Orientador: Dacle Vilma Carvalho
Banca:
Presidente: Dacle Vilma Carvalho
Membro: Maria Margarita Castro Gonzalez; Adriano Marcal Pimenta
Subject: Enfermagem Teses; Enfermagem DeCS; Transplante de Coração/mortalidade DeCS; Complicações Pós-Operatórias/mortalidade DeCS; Comorbidade DeCS; Insuficiência Cardíaca/classificação DeCS; Questionários DeCS; Dissertações Acadêmicas DeCS; Brasil DeCS; Estudos Retrospectivos; Fatores Socioeconômicos DeCS; Humanos DeCS; Masculino DeCS; Feminino DeCS; Adulto DeCS; Meia-Idade DeCS; Hospitais Universitários DeCS
Palavra-chave: Enfermagem; Transplante de Coração; Transplante de Órgãos; Complicações Pós-Operatórias; Comorbidade.
Date: 27-05-2011
Publisher: UFMG
Abstract: As doenças cardiovasculares são as principais causas de morte no Brasil e em vários países desenvolvidos. Entre elas, tem-se a insuficiência cardíaca que é uma patologia considerada grave e irreversível. Hoje, com o avanço da medicina e da tecnologia, para o tratamento da insuficiência cardíaca irreversível, vem sendo utilizada como última possibilidade de intervenção, o transplante cardíaco. Com o objetivo de assistir aos pacientes submetidos a transplante cardíaco, em um Hospital Universitário, faz-se necessário conhecer de forma sistematizada, características desses pacientes e as complicações apresentadas por eles no pós-operatório. Assim este trabalho foi desenvolvido com os seguintes objetivos: traçar o perfil demográfico dos pacientes submetidos ao transplante cardíaco; identificar as co-morbidades apresentadas por esses pacientes antes do transplante e identificar as complicações apresentadas por eles após o transplante cardíaco. Trata-se de um estudo descritivo e exploratório, realizado junto aos prontuários de pacientes submetidos ao transplante cardíaco, no período de Jun/2006 a Jul/2009, em um Hospital Universitário em Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil. A amostra estudada foi de 44 prontuários de pacientes, o que corresponde a 83,0% da população, de acordo com os critérios de exclusão: prontuários de pacientes que faleceram no transoperatório e a não autorização do paciente ou responsável. O projeto foi aprovado em todas as instâncias necessárias e atendeu às recomendações da Resolução 196/96. Os dados foram submetidos à análise descritiva. Os resultados permitiram verificar que: a maioria dos pacientes que se submeteram ao transplante cardíaco era do sexo masculino (81,4%), casada, com escolaridade de nível fundamental e tinha profissão/ocupação que exigia este grau de instrução. A idade variou de 21 a 64 anos (média de 45,2) com predominância da faixa etária de 41 a 64 anos. Todos residiam em Minas Gerais, sendo grande parte em Belo Horizonte ou na região metropolitana. A maioria dos pacientes (88,6%) apresentava outras co-morbidades, com predomínio de arritmias, dislipidemia, hipertensão arterial sistêmica e tireoidopatia. Essas doenças podem influenciar a evolução do paciente no pós-operatório de transplante cardíaco. Foram identificados hábitos prejudiciais à saúde antes da realização do transplante, tais como uso de bebida alcoólica (43,2%) e tabagismo (38,6%). A miocardiopatia chagásica foi a principal causa de insuficiência cardíaca (50,0%) na população estudada seguida pela miocardiopatia dilatada idiopática (20,5%). As complicações que predominaram, durante a internação, foram alteração da glicemia, insuficiência renal e infecções e, após a alta hospitalar, infecções, rejeição e lesões dermatológicas. A taxa de mortalidade foi de 20,4% no período de internação e de 34,1%, após um ano de transplante.
Resumo em lingue estrangeira: Cardiovascular diseases are a major cause of death in many developing countries including Brazil. The heart failure is a cardiovascular disease considered severe and irreversible. Nowadays, with advance in technology and medicine the last alternative of treatment to heart failure is the cardiac transplantation. To assist the patients submitted to the procedure in a University Hospital, it is necessary to systematically know the characteristics of these patients and postoperative complications related to them. This work was developed with the following objectives: to delineate the demographic profile of patients undergoing heart transplantation, identifying the comorbidities presented by these patients before transplantation and complications presented by them after this procedure. This is a descriptive and exploratory study conducted with the records of patients undergoing heart transplantation from June/2006 to July/2009, in a University Hospital in Belo Horizonte, Minas Gerais, Brazil. Our sample contains 44 patients charts which represents 83.0% of population and with the following exclusion criteria: records of patients who died during surgery and unauthorization records. The project was approved by all required instances and attended to Resolution 196/96 recommendations. The data were analyzed descriptively and the results were: the majority of patients who underwent cardiac transplantation were male (81.4%), married, with elementary education and had a profession or occupation demanding this level of education. The age ranged from 21 to 64 years (mean 45.2) with predominant age group ranging from 41 to 64 years. All were resident in Minas Gerais and most of them living on Belo Horizonte metropolitan area. Most patients (39 or 88.6%) had other comorbidities, with a prevalence of arrhythmia, dyslipidemia, hypertension and thyroid disease. These diseases can influence in progress of patients in heart transplantation postoperative situation. We've identified unhealthy habits prior to transplant such as alcoholism (19 or 43.2%) and smoking (17 or 38.6%). Chagasic cardiomyopathy was the main cause of heart failure (50.0%) in the study population followed by idiopathic dilated cardiomyopathy (20.5%). Complications that prevailed during the admission were alteration in blood glucose, kidney failure and infections, and after discharge, infection, rejection, and skin lesions. The mortality rate was 20.4% during hospitalization and 34.1% after one year of transplantation.
URI: http://hdl.handle.net/1843/GCPA-8KUGWN

Files in this item

Files Size Format View
elaine_araujo_da_silva.pdf 2.016Mb PDF View/Open

This item appears in the following Collection(s)

Show full item record