Caracterização geoquímica e geocronológica do complexo Jequitinhonha na área tipo, Orógeno Araçuaí

Biblioteca Digital - UFMG

Caracterização geoquímica e geocronológica do complexo Jequitinhonha na área tipo, Orógeno Araçuaí

Show full item record

Title: Caracterização geoquímica e geocronológica do complexo Jequitinhonha na área tipo, Orógeno Araçuaí
Author: Tatiana Gonçalves Dias
Orientador: Antonio Carlos Pedrosa Soares
Banca:
Presidente: Antonio Carlos Pedrosa Soares
Membro: Fernando Flecha de Alkmim; Marcio Martins Pimentel
Subject: Geoquímica -- Teses.; Geologia estrutural -- Teses.; Geologia -- Teses.; Jequitinhonha, Rio, Vale (MG e BA) -- Teses.
Palavra-chave: Complexo Jequitinhonha; Litoquímica; Geocronologia U-Pb; Orógeno Araçuaí
Date: 28-02-2012
Publisher: UFMG
Abstract: O Complexo Jequitinhonha é uma das unidades metassedimentares mais extensas do domínio interno do Orógeno Araçuaí. Em sua área-tipo, entre as cidades de Jequitinhonha e Almenara (MG), é composto por paragnaisse peraluminoso (kinzigítico) migmatizado, com intercalações de quartzito, grafita gnaisse, rocha calcissilicática e metamáfica. Os gnaisses kinzigíticos são tipicamente ricos em Al2O3 (11.49%19.80%), com SiO2=57.82%75.93%, K2O=0.24%4.93%,Na2O=0.873.24% e CaO=0.33-6.85%, refletindo uma predominância de contribuição pelítica em seus protólitos. A química de elementos maiores sugere pelitos grauvaquianos e grauvacas para a maioria dos protólitos. Padrões de elementos terras raras (ETR) normalizados ao condrito indicam um enriquecimento moderado em ETR leves em relação aos pesados (LaN/YbN = 6.67-14.38) e uma anomalia de Eu proeminente (Eu/Eu* = 0.52-0.81), características similares ao NASC ecomparáveis a turbiditos de margem passiva. Razões Th/Sc entre 0.58 e 1.08 também sugerem o retrabalhamento de crosta continental evoluída como principal fonte dos protólitos. A análise dos espectros de idade U-Pb em zircões detríticos (LA-ICP-MS) para duas amostras de quartzitopermite identificar seis picos de idade principais nas áreas fonte do Complexo Jequitinhonha, ao redor de 950, 1200, 1500, 1800, 2000 e 2500 Ma. Os zircões mais novos encontrados e a idade do metamorfismo regional na fácies granulito indicam que a deposição dos protólitos ocorreu entre 898 e 575 Ma atrás. As razões isotópicas de Nd dos gnaisses kinzigíticos são muito homogêneas, com idades-modelo Tdm entre 1,6 1,8 Ga e Nd(575 Ma) de -7,0 a -7,9. Os dados isotópicos sugerem a predominância de crosta paleoproterozóica, com uma proporção menor de crosta meso a neoproterozóica, nas áreas-fonte do Complexo Jequitinhonha, que envolvem o embasamento do Cráton do São Francisco, os complexos Juiz de Fora e Mantiqueira (~2.0 Ga), e as rochas vulcânicas relacionadas ao rifteamento Toniano, especialmente o espesso pacote vulcânico da Faixa Oeste Congolesa (~1.0-0.9 Ga). O Complexo Jequitinhonha pode ser correlacionado às formações superiores do Grupo Macaúbas, que apresentam espectros de idades U-Pb em zircões detríticos e assinatura isotópica de Nd similares. Dessa forma, como sugerido pelos dados geoquímicos eisotópicos, os protólitos do Complexo Jequitinhonha foram provavelmente depositados na margem passiva distal da bacia precursora do Orógeno Araçuaí.
Resumo em lingue estrangeira: The Jequitinhonha Complex is one of the most extensive metasedimentary units of the Araçuaí Orogen internal domain, in southeastern Brazil. In its type-area, between Jequitinhonha and Almenara (MG), it is composed of migmatized peraluminous (kinzigitic) paragneiss with intercalations of quartzite, graphite gneiss, calcsilicate and metabasics rocks. The kinzigitic gneisses are typically rich in Al2O3 (11.49%19.80%), with SiO2=57.82%75.93%, K2O=0.24%4.93%, Na2O=0.873.24% e CaO=0.33-6.85%, reflecting predominance of pelitic contribution. The major element attributes suggest graywacky pelite and graywacke to most paragneiss protoliths. Chondrite-normalized rare earth elements patterns (REE) shows moderated enrichment in light rareearth elements (LaN/YbN = 6.67-14.38) and a prominent negative Eu anomaly (Eu/Eu* = 0.52-0.81), which are similar to NASC and comparable to passive margin turbidite patterns. Th/Sc ratios in between 0.58 and 1.08 also suggest the reworking of evolved continental crust as the main source for the protoliths. The analysis of the detrital zircon U-Pb age spectra (LA-ICP-MS) from two quartzite samples allows to identify six main age peaks in the source areas of the Jequitinhonha Complex, at around 950, 1200, 1500, 1800, 2000 and 2500 Ma. The youngest detrital zircon found and the age of granulite-facies regional metamorphism in the area brackets the deposition of the protoliths in between 898 and 575 Ma. The Nd isotopic signatures of the kinzigitic gneisses are very homogeneous, with Tdm in between 1.6 - 1.8 Ga and Nd(575 Ma) from -7.0 to -7.9. The isotopic data suggest the predominance of Paleoproterozoic crust, mixed with smaller amounts of Meso to Neoproterozoic crust, in the Jequitinhonha Complex source areas, which involve the São Francisco Craton basement, the Juiz de Fora and Mantiqueira complexes (~2.0 Ga), and the tonian rift-related magmatic rocks, especially the thick volcanic sequence of the West Congo Fold Belt (~1.0-0.9 Ga). The Jequitinhonha Complex can be correlated to the upper Macaúbas Group, which show similar detrital zircon age spectra and Nd isotopic signatures. Therefore, as suggested by the lithochemical and isotopic data, the Jequitinhonha Complex protoliths are probably deposited in the distal passive margin of the precursor basin to the Araçuaí Orogen.
URI: http://hdl.handle.net/1843/LGSA-99YPWV

Files in this item

Files Size Format View
gon_alves_dias_2012.pdf 8.785Mb PDF View/Open

This item appears in the following Collection(s)

Show full item record