Avaliação do perfil da resposta imune Th1, TH2 e Th17 em mulheres com cancer epitelial dos ovários

Biblioteca Digital - UFMG

Avaliação do perfil da resposta imune Th1, TH2 e Th17 em mulheres com cancer epitelial dos ovários

Show full item record

Title: Avaliação do perfil da resposta imune Th1, TH2 e Th17 em mulheres com cancer epitelial dos ovários
Author: Eduardo Batista Candido
Orientador: Agnaldo Lopes da Silva Filho
Banca:
Presidente: Agnaldo Lopes da Silva Filho
Membro: Andrezza Vilaca Belo; Joao Lucio dos Santos Junior; Luciana Maria da Silva; Walter Antonio Prata Pace
Subject: Ovario Teses.; Dissertações acadêmicas DeCS; Neoplasias ovarianas DeCS; Imunidades das mucosas DeCS; Imunidade adaptativa DeCS; Citometria de fluxo DeCS; Citocinas DeCS; Equilíbrio Th1-Th2 DeCS; Células Th17 DeCS
Palavra-chave: Câncer epitelial de ovário. Resposta imune adaptativa; Citometria de fluxo; Citocinas
Date: 25-11-2011
Publisher: UFMG
Abstract: Introdução: O câncer epitelial de ovário (CEO) representa um desafio a Oncologia Ginecológica devido ao seu caráter insidioso e alta letalidade. O sistema imunológico interage com o tumor em desenvolvimento podendo determinar sua progressão/regressão. Este estudo visa avaliar a resposta imune Th1, Th2 e Th17 em mulheres com CEO. Métodos: Avaliaram-se prospectivamente 44 mulheres com CEO e 32 mulheres sem evidencia de neoplasia maligna (grupo controle). Foram coletadas amostras de tumor/ovário normal, liquido intracistico, ascite e soro. A avaliação da resposta imune foi realizada por meio da dosagem das citosinas IL-2, IL-4, IL-6, IL-10, IL-17, TNF-¿ e IFN-Á utilizando CBA(Cytometric Bead Array). As diferenças entre os grupos foram avaliadas pelo teste Mann- Whitney ou Kruskal-Walis e recorrência e sobrevida por Cox Regression. As diferenças com valor de p < 0,05 foram consideradas significativas. Resultados: Não houve diferença entre os grupos em relação a idade e paridade. No grupo de mulheres com CEO, 12 (27,2%) apresentavam estágios I/II e 32 (72,7%) estágios III/ IV. As pacientes com CEO apresentaram maiores concentrações de TNF-¿, IL-4, IL-6 e IL-10 (tumor) e IL-10 e TNF-¿ (soro) em comparação ao grupo controle. A ascite e liquido intracistico representaram os sítios com maiores concentrações de citosinas nas pacientes com CEO comparados ao soro e tumor. Houve uma associação de maiores níveis séricos do CA-125 com maior concentração de IL-10 (liquido intracistico) e TNF-¿ (soro). Pacientes com neoplasias pouco diferenciadas apresentaram uma maior concentração de IL-4 (liquido intracistico), IL-6 (liquido intracistico e tumor) e IL-10 (ascite e liquido intracistico). Mulheres com estágios III/IV apresentaram uma maior concentração de IL-10 (tumor e ascite) e TNF-¿ (soro e ascite). Mulheres submetidas a cirurgia de citorredução insatisfatória apresentaram maiores concentrações de IL-4, IL-6, IL-10 e TNF-¿ e menores concentrações de IFN-Á em comparação aquelas submetidas a citorreducao ótima. Mulheres com maiores concentrações de IL-6 e IL-10 (tumor e ascite) e menores concentrações de IFN-Á (liquido intracistico) apresentaram menor sobrevida global. Conclusões: Mulheres com CEO apresentam predominantemente uma resposta imune Th2 e um padrão de imunossupressão. Esse perfil parece exercer um papel importante na progressão tumoral, sendo evidenciada uma associação de IL-6, IL-10 e IFN-Á com o prognostico de pacientes com CEO.
URI: http://hdl.handle.net/1843/MCGI-8TBPK3

Files in this item

Files Size Format View
tese_eduardo_b_candido_1_.pdf 6.492Mb PDF View/Open

This item appears in the following Collection(s)

Show full item record