Províncias diamantíferas de Minas Gerais: uma proposta para a caracterização de populações de diamantes típicas como subsídio à Certificação Kimberley

Biblioteca Digital - UFMG

Províncias diamantíferas de Minas Gerais: uma proposta para a caracterização de populações de diamantes típicas como subsídio à Certificação Kimberley

Show full item record

Title: Províncias diamantíferas de Minas Gerais: uma proposta para a caracterização de populações de diamantes típicas como subsídio à Certificação Kimberley
Author: Leila Benitez
Orientador: Mario Luiz de Sa Carneiro Chaves
Banca:
Presidente: Mario Luiz de Sa Carneiro Chaves
Membro: Antonio Wilson Romano; Paulo Roberto Gomes Brandao; Antonio Luciano Gandini; Valter Salino Vieira
Subject: Geologia econômica - Teses.; Diamante - Minas Gerais - Teses.
Palavra-chave: diamante; províncias diamantíferas; Minas Gerais; Certificação Kimberley
Date: 17-12-2009
Publisher: UFMG
Abstract: A partir do pressuposto de que lotes de diamantes provenientes de diferentes regiões possuem assinaturas" mineralógicas típicas, propõe-se uma metodologia que venha a contribuir no sentido de se reconhecer feições específicas em lotes diamantíferos diversos do Estado de Minas Gerais. Esse Estado foi responsável pela posição do Brasil como principal produtor mundial de diamantes durante 1714 e 1870. Atualmente, embora, a produção do país não seja representativa em termos mundiais, tal região ainda constitui uma das principais produtoras do país. Deste modo, efetuou-se o estudo sistemático de lotes de diamantes de Minas Gerais, procedentes de áreas distintas nas quatro províncias diamantíferas reconhecidas, aqui definidas: (1) Serra do Espinhaço, (2) Noroeste São Francisco, (3) Alto Paranaíba e (4) Serra da Canastra. Na coleta de dados, o método adotado foi o footprinting, o qual consistiu em análise das macro-características de diamantes, e tratamento estatístico desses dados, objetivando que à partir das diferenças entre os lotes de áreas específicas, possa-se apontar a região de procedência, utilizando-se apenas da análise das características ópticas (e rápidas) dos cristais. O reconhecimento da procedência dos lotes de diamantes a partir das principais feições de suas populações vem de encontro às exigências do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), a partir da adesão do Brasil ao Sistema de Certificação do Processo de Kimberley c(SCPK). O SCPK, estabelecido em 2002 por iniciativa dos países produtores de diamantes da África Meridional, pretende elaborar um sistema geral de certificação para o comércio internacional de diamantes em bruto. A proposta inicial apresentava como objetivos: (a) deter o comércio de diamantes em bruto utilizados por movimentos rebeldes para financiar conflitos armados; (b) proteger a indústria de diamantes; (c) controlar o comércio de diamantes. No Brasil, o SCPK foi adotado de acordo com a Medida Provisória nº 125 de 2003, visando principalmente que o país continuasse participando do mercado externo. A Província Serra do Espinhaço foi individualizada em campos e distritos diamantíferos, devido à sua maior dimensão. De modo geral os resultados mostraram que as áreas amostradas apresentam lotes de diamantes com características similares. Predominam os cristais rombododecaédricos, de cor incolor-amarelado, com baixo grau de dissolução, de boa qualidade e baixa quilatagem. Essas características pressupõem uma fonte alimentadora distal para os diamantes da região. A Província Alto Paranaíba apresenta uma população característica de rombododecaedros, de cor incolor a amarelado, ocorrência de cores fancies, com marcante presença de quebras, inclusões, forte grau de dissolução e alta quilatagem. Essas feições priorizam uma fonte alimentadora proximal, considerando-se ainda a existência de inúmeros corpos kimberlíticos na região. A Província Noroeste São Francisco apresenta aspectos semelhantes à do Alto Paranaíba, entretanto ocorrem algumas diferenças, como a relativa freqüência de cristais com formas e tamanhos diversos e a presença capas verdes. A heterogeneidade dessa população pode estar relacionada à atuação de mais de uma fonte alimentadora, de origens distal e proximal. A Província Serra da Canastra mostra uma população substancialmente diferente das demais. Ocorrem cristais octaedros, incolores, bastante puros, de ótima qualidade comercial, porém de baixa quilatagem; entretanto é considerável também o percentual de tipos de qualidade inferior. Essas características provavelmente estão relacionadas com a presença de kimberlitos mineralizados na região. Os resultados das análises estatísticas sobre a tipologia das populações das quatro províncias diamantíferas mineiras, comparados entre si, levam à constatação de que existem diferenças bastante nítidas entre os lotes de cada uma destas. Conclui-se que o método é eficaz, obtendo-se uma caracterização para as populações de cada província estudada. Desta forma, constitui um importante indicador no sentido de auxiliar na identificação da procedência dos lotes.
URI: http://hdl.handle.net/1843/MPBB-85NNUN

Files in this item

Files Size Format View
tese_leila_benitez.pdf 10.90Mb PDF View/Open

This item appears in the following Collection(s)

Show full item record