Quimioestratigrafia e proveniência sedimentar da porção basal do Grupo Bambuí em Arcos (MG)

Biblioteca Digital - UFMG

Quimioestratigrafia e proveniência sedimentar da porção basal do Grupo Bambuí em Arcos (MG)

Show full item record

Title: Quimioestratigrafia e proveniência sedimentar da porção basal do Grupo Bambuí em Arcos (MG)
Author: Matheus Henrique Kuchenbecker do Amaral
Orientador: Antonio Carlos Pedrosa Soares
Banca:
Presidente: Antonio Carlos Pedrosa Soares
Co-orientador: Marly Babinski
Membro: Alexandre Uhlein; Roberto Ventura Santos
Subject: Geologia estrutural - Arcos (MG) - Teses.; Geologia estratigráfica - eses.; Bacias (Geologia) - Arcos (MG) - Teses.
Palavra-chave: geologia
Date: 31-03-2011
Publisher: UFMG
Abstract: Tema relevante na literatura geologica nacional e internacional, o Grupo Bambui e foco de intensos estudos por ser um potencial registro dos importantes de importantes eventos geotectonicos e climaticosocorridos durante o Neoproterozoico. A regiao de Arcos e a mais importante area de ocorrencia dos carbonatos basais do Grupo Bambui na porcao oeste da bacia, e atraves de furos de sondagem se teveacesso a toda sua sucessao sedimentar. Foram realizados estudos de petrografia macroscopica e microscopica, que permitiram o detalhamento de uma secao de aproximadamente 175 m, que contempla o embasamento cristalino e 10 unidades sedimentares distintas. O Embasamento e composto por granodiorito, e a Unidade 1 por diamictito, sobre o qual se assenta o calcario impuro da Unidade 2. A Unidade 3 apresenta calcilutito com eventuais camadas de folhelho carbonoso, e em sua porcao de topo ocorrem leques de cristais pseudomorfos de aragonita. A Unidade 4 e composta por marga e argilito, e a Unidade 5 por calcarenito macico, que passa a apresentar estratos lamelares e estruturas microbianas na Unidade 6. A Unidade 7 e composta por calcarenito com camadas intraclasticas. A Unidade 8 e apresenta calccissiltito e calcarenito, que gradam para o calcarenito oolitico da Unidade 9. A Unidade 10 e composta por dolarenito estromatolitico. Amostras foram coletadas ao longo de toda a secao para analises geoquimicas, isotopicas e geocronologicas, com vistas a realizacao de quimioestratigrafia de detalhe (isotopos de C, O, Sr e litoquimica de elementos maiores, tracos e ETR) na sucessao carbonatica e estudos de proveniencia sedimentar (U-Pb em zircoes detriticos, Sm-Nd e litoquimica) das rochas siliciclasticas. Em analise textural observa-se que o diamictito da Unidade 2 possui as caracteristicas sedimentares de um tilito de alojamento. Os resultados das analises quimicas indicam que o embasamento e composto por granodiorito do tipo I, cristalizado entre 2,8 e 2,9 Ga (U-Pb em zircoes), com idade modelo TDM de 3,0Ga e .Nd de 1,49. Os perfis quimioestratigraficos de d13C e d18O obtidos nos carbonatos exibem tres intervalos distintos. O Intervalo I corresponde as unidades 1 e 2, e e caracterizado por valores negativos de d13C (-5 a -3 ñ) e uma grande oscilacao dos valores de d18O, entre -6 e -15 ñ. O Intervalo II (unidades 4 a 9) caracteriza-se por uma homogeneidade nos valores de d13C e d18O, que permanecem proximos de 0 ñ e -7 ñ, respectivamente. No topo, coincidente com a Unidade 10, o Intervalo III marca uma forte excursao positiva dos valores de d13C, para c. +8 ñ, e de d18O, quealcancam -3 ñ. As razoes 86Sr/87Sr obtidas e consideradas primarias variam entre 0,7075 e 0,7077, e localizam-se principalmente na porcao superior da coluna. A assinatura litoquimica de elementos maiores, tracos e ETR das rochas carbonaticas mostrou-se controlada pela presenca de terrigenos (em sua maioria quartzo e argilominerais), que ocorrem concentrados principalmente na porcao basal dasequencia. Nas amostras livres de contaminacao por terrigenos, a assinatura de ETR sugere a contribuição de agua doce durante a deposicao dos carbonatos. Zircoes detriticos separados da matriz do diamictito foram datados por U-Pb e mostram pico principal de idades em 1,8 Ga. Pelitos das unidades 3 e 4 mostram idades modelo semelhantes, de 1,7 Ga, com .Nd em c.+17. Os resultados obtidos permitem concluir que o diamictito possui genese relacionada a processos glaciais, tendo como fonte principal de sedimentos o proprio embasamento local. As Unidades 2 e 3 representam verdadeiros carbonatos de capa relacionados a uma das grandes glaciacoes do Neoproterozoico. Os dados de proveniencia indicam a presenca de uma fonte mesoproterozoica a neoproterozoica para os sedimentos o que corrobora com a interpretacao de um carater foreland para o Grupo Bambui.
URI: http://hdl.handle.net/1843/MPBB-8G3PXH

Files in this item

Files Size Format View
disserta__o_de_ ... ecker_2011___completa_.pdf 14.04Mb PDF View/Open

This item appears in the following Collection(s)

Show full item record